A entrevista de emprego costuma ser uma etapa eliminatória em processo seletivo. O bom desempenho nela é decisivo para a contratação. Um candidato deve estar sempre preparado e confiante para esse momento. 

Neste sentido, compreender o que um grande líder de negócios como Bill Gates, fundador da Microsoft, acha importante no momento  da entrevista pode ajudar você a se preparar. 

Caso você não concorde com as respostas dele, pode refletir sobre como responderia às 3 perguntas mais comuns dos recrutadores. 

Pergunta 1: “Porque devemos contratá-lo?”

Por que essa pergunta é tão popular? Porque é difícil resumir em poucas palavras suas melhores qualidades de forma a encaixá-las como uma luva na descrição da vaga. 

Candidatos que se dão bem nela têm clareza de suas melhores competências, mas também sabem exatamente o que o empregador (ou o RH) está buscando. Raramente candidatos confrontados com essa pergunta têm a sensação de que a responderam bem.

Então, como Gates responde a esta pergunta?

Bem, segundo suas próprias palavras: “Você deve olhar os códigos que escrevi. Eu escrevo programas de software melhor do que qualquer coisa que já tenha feito. Acho que melhorei com o tempo, o que mostra que eu busquei me desenvolver.”

“Também acho que posso trabalhar bem com as pessoas. Posso criticar seu código um pouco duramente, mas no geral, gosto de estar em uma equipe. Gosto de objetivos ambiciosos. Gosto de pensar em como podemos antecipar o futuro.”

Por que a resposta de Gates pode ser considerada boa?

Porque a resposta do fundador da Microsoft mostra que ele conhece o assunto (programação), mas que também é focado em continuar melhorando aquilo que já faz bem.

Ao mesmo tempo, ele admite que não é um colega de equipe perfeito, talvez por ser um pouco perfeccionista, mas gosta de trabalhar em times que estão tentando fazer coisas importantes.

Observação rápida: se você não gosta desta pergunta, mas ainda quer exercitar suas respostas para questões igualmente complicadas de responder de forma breve, veja como se sai nestes dois casos: 

  • “O que você acha que preciso saber que não discutimos?”
  • “Se você pudesse refazer uma das minhas perguntas, como você responderia agora?”

Pergunta 2: “Quais são os seus pontos fortes e fracos, e como você os incorporaria em uma equipe?”

Ainda que seu currículo traga seus pontos fortes, ele não diz nada sobre os seus pontos fracos. Todo candidato está preparado para dizer um ou mais pontos fracos teóricos. A maioria transforma sua fraqueza teórica (sou perfeccionista, não sei dizer não etc) em uma força disfarçada. 

Então, como Gates responde?

As palavras são de Gates: “Bem, eu não sou alguém que sabe muito sobre marketing. Eu não gostaria de ser um vendedor. Por outro lado, se você está buscando alguém que realmente gosta de criar produtos, sou fascinado por isso.” 

“Eu estudo melhores práticas de desenvolvimento de produtos, leio sobre os erros que foram cometidos, já trabalhei com equipes de atendimento (cujos insights ajudam a desenvolver melhores produtos). Definitivamente, criação de produto é o meu forte.”

Por que a resposta de Gates pode ser considerada boa?

Gates não tenta transformar uma força real em uma fraqueza, como lutar para equilibrar a vida pessoal e profissional, porque ele trabalha muito.

Em vez disso, ele admite uma deficiência compreensível. Ele é um programador, não um vendedor. Mas ele gosta de criar produtos que as pessoas realmente usam – e isso pode tornar a empresa bem-sucedida.

Pergunta 3: “Quais são as suas expectativas de salário para este trabalho?”

Uma das perguntas que causam maior desconforto, sem dúvidas, é sobre a pretensão salarial. Por isso, antes do dia da entrevista, faça uma pesquisa sobre a remuneração média da sua área e local de atuação.  Sites como o Glassdoor e Salariobr podem ajudar neste trabalho.

No dia da entrevista, antes de responder, procure saber mais informações sobre a empresa, a vaga a ser ocupada, benefícios e oportunidades de crescimento. Você pode usar seu salário atual ou anterior como parâmetro. Saiba que dificilmente as empresas pagam mais de 25% do seu último salário. Regra geral, quem está empregado tem um “poder de negociação” maior que uma pessoa que está em busca de recolocação.

Como Gates responde?

Palavras do fundador da Microsoft: “Espero que o pacote de opções de ações seja bom. Sou capaz de correr riscos e acho que a empresa tem um grande futuro, por isso prefiro ainda mais opções de ações à compensação em dinheiro. Ouvi dizer que outras empresas estão pagando muito, mas me trate com justiça e enfatize as opções.”

Por que a resposta de Gates pode ser considerada boa?

Resposta inteligente. Gates mostra que conhece o mercado. A maioria das pequenas e médias empresas não está em posição de oferecer opções de ações. Mas você pode encontrar maneiras de vincular o sucesso da empresa à remuneração total que deseja, propondo um mix entre salário fixo e variável (bônus, participação nos lucros, comissões, etc.) 

Conclusão

Antes da entrevista, prepare-se. Estude a empresa brevemente (o que ela faz, quais são os seus diferenciais e quem são seus concorrentes), entenda o que a vaga requer e como você se encaixa nela. 

No dia da entrevista, tente se manter calmo. Seja objetivo (vá direto ao ponto central da questão), claro (organize suas ideias) e evite dar muitas voltas (seja conciso). A medida que for interagindo com o recrutador, você vai entender se há espaço para ser mais informal, expressar o seu humor. No mais, não existe resposta 100% perfeita, portanto, seja você mesmo.

Assista também

Se você quer ouvir do próprio Bill Gates como ele responde às questões mais comuns em entrevistas de emprego, confira esta entrevista dele com Stephen Curry, astro da NBA, no Golden State Warriors.

394 Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*