O currículo tem grande relevância para que uma pessoa conquiste a vaga que almeja no mercado de trabalho. Portanto, as informações adicionadas no CV (abreviação de Curriculum Vitae) devem ser legítimas e bem organizadas, já que ele será o responsável pela primeira impressão que um recrutador terá sobre o candidato.

Afinal, em um processo seletivo, antes mesmo dos concorrentes se apresentarem pessoalmente, é o curriculum vitae que será o responsável por fazer o “Marketing Pessoal”. Ou seja, é preciso olhar para este documento como sua principal porta de entrada, então, ao montar um currículo seja estratégico ao redigi-lo.

O currículo deve ser entendido como se fosse um resumo da sua trajetória profissional, indicando o quanto você se esforçou para chegar até o seu estágio atual. É ele que contará qual o caminho você trilhou, mas também aonde você quer chegar.

Premissas de um bom currículo

Um bom currículo, contém três premissas básicas: verdadeiro, relevante e objetivo. Com esses três pilares, certamente, os recrutadores darão maior credibilidade e confiabilidade ao seu cv. Por isso, abaixo iremos detalhar um pouco mais o que significa cada uma dessas premissas.

Verdadeiro

Ao escrever o seu currículo, somente através da verdade será possível encontrar a vaga de emprego correta para você. Por isso, ao fazer seu CV, nunca coloque habilidades que você não possui, afinal, tudo que estiver presente neste documento poderá ser exigido.

Relevante

Este pilar é o que demanda mais trabalho no momento de montar um currículo, isso porque apesar do CV ser uma ferramenta onde você estará contando sua trajetória profissional, ele sempre precisa ser pensado de acordo com a vaga que você almeja.

O seu currículo deve apresentar de forma direta tudo o que o recrutador precisa saber sobre suas qualificações, trajetória profissional, mas principalmente os resultados conquistados. Porém, tudo isso precisa ser feito de forma objetiva, com o enfoque de ressaltar o que tenha relação com a vaga que está sendo disputada.

Vale lembrar ainda, que a função de um recrutador neste primeiro estágio é fazer uma triagem entre os concorrentes, ou seja, ele irá ver vários currículos, porém, apenas os que chamaram a sua atenção irão prosseguir no processo seletivo.

Objetivo

As pessoas que avaliam um CV, podem ter uma enorme carga diária de trabalho, afinal, normalmente as vagas são muito disputadas no estágio inicial. Por conta disso, é importante saber que os recrutadores não vão ter muito tempo examinando um documento complexo ou confuso.

Portanto, é importante você pré-selecionar as informações que serão colocadas na sua “carta de apresentação”. Seja sucinto para não passar a sensação que está “enrolando”, e, de quebra, deixe os ‘maiores’ detalhes para o momento de sua entrevista.

Dica: tente tornar os resultados que você já alcançou com suas ações tangíveis. Por exemplo: “… E essa ação aumentou em 20% os resultados…”

8 dicas de como fazer um bom currículo

As premissas são um ótimo início para você começar a pensar na construção do seu CV. Dado que você já conhece bem as premissas básicas, vamos falar agora do passo a passo para a formatação do CV.

O currículo precisa ter uma formatação harmônica, mantendo um espaçamento padrão, com a mesma fonte, por exemplo. É importante criar uma versão em português e inglês (com uma revisão de um profissional de idiomas, para garantir a gramática e semântica). Para facilitar a elaboração, descrevemos aqui uma estrutura lógica de como montar um bom currículo.

Layout

Seguindo a premissa do objetivo/conciso, o currículo deve ser objetivo e de fácil leitura. Portanto, colocar imagens, fotos ou animações tiram o foco do conteúdo relevante e isso pode fazer com que seu CV seja descartado, mesmo que esteja rico em conteúdo.

Há exceções para o layout, caso o ramo da empresa que você esteja enviando o currículo, seja, por exemplo, uma agência de Design. Nesses casos seja criativo, mas use o bom senso para não exagerar e lembre-se que deve apresentar no formato algo que seja relevante também.

Dados pessoais

Para os dados pessoais considere apenas:

  • Nome completo;
  • E-mail;
  • Telefone de contato;
  • Endereço do seu perfil em redes profissionais, como o LinkedIn;
  • Cidade onde mora.

Mas cuidado com alguns desses campos. Por exemplo, no número de telefone coloque um que realmente consigam falar com você, inclusive, você pode priorizar o celular. Já nas redes sociais, evite incluir perfil de suas páginas pessoais, insira apenas as profissionais. Também não é preciso colocar RG, CPF, nem idade ou data de nascimento.

Resumo das qualificações

A função é dar um resumo interessante com suas principais qualificações, como se fosse um “teaser” para gerar encantamento em quem lê. Se o recrutador tiver pouco tempo, ao ler um resumo bem elaborado, terá um olhar bem mais positivo nas demais informações do CV.

Um bom currículo não precisa conter todas as suas experiências detalhadas, mas sim, aquelas que realmente fazem a diferença para o cargo que você deseja. Por isso, saber quais informações são realmente relevantes é muito importante.

Formação acadêmica

Para quem já tem experiência profissional relevante coloque essa informação logo depois da trajetória profissional. Já para quem está iniciando no mercado de trabalho, pode colocar essa informação no início do CV, substituindo o resumo.

Outra dica, é se tiver uma formação em instituições conceituadas, pode colocar esta informação logo após o resumo, pois faz parte da sua apresentação e pode chamar a atenção pelo renome das instituições. Já para os casos onde a instituição de formação não é tão conceituada no mercado, essa informação pode ser colocada no final do documento, mantendo a atenção para a sua experiência.

Inclua o nome da instituição de ensino, curso e datas de início e término do curso, apresentando-os por ordem de importância: Mestrado, Pós-graduação, Graduação, entre outras. Coloque cursos técnicos apenas se tiverem relação com a área pretendida ou se você não possuir curso de graduação.

Trajetória profissional

Basta adicionar nome da empresa, a sua posição e período de permanência no cargo ou empresa. Descrição das atividades: focar principalmente nas duas últimas empresas, pois elas revelam mais sobre você “no momento”, que as mais antigas.

Importante descrever cada atividade em tópicos, iniciando com uma palavra que exprima ação e remeta a propriedade e depois apontar o resultado alcançado. Isso é fundamental. Por exemplo: “…responsável pela reestruturação da estratégia comercial, aumentando em 30% a margem de lucro do setor”.

Dica: para quem está em busca do primeiro emprego, vale ressaltar no currículo as experiências na faculdade, estágios, cursos, trabalhos voluntários e habilidades.

Idioma

Colocar apenas idiomas que você seja fluente ou avançado. Não é recomendado incluir nível básico de idiomas no CV. Importante: se você não falar nem um idioma fluente ou avançado, não deve acrescentar informações sobre idioma, pois no CV chamamos atenção para o que você tem e não para o que você não tem.

Outro cuidado é não exagerar em nenhuma informação quanto a isso, afinal, se há uma exigência mínima de fluência em um determinado idioma, é porque você realmente necessitará utilizá-lo.

Experiência internacional

Inclua caso tenha saído do seu país e tenha ido trabalhar em outro por alguns meses ou anos. Se essa experiência internacional estiver relacionada somente a estudos, ela pode ser adicionada na formação acadêmica.

Um curso ou emprego fora do país precisa ser bem destacado para chamar a atenção do selecionador, mas tome cuidado para não se estender e deixar o tópico muito grande.Outro cuidado nesta parte de seu currículo, é que viagens internacionais não possuem peso em um currículo.

Cursos e formações complementares

O objetivo do campo informações adicionais no final do currículo é destacar algumas qualificações que sejam relevante e que fortaleçam a sua formação. Não precisa colocar todos os cursos que você fez na vida, apenas aqueles que agregam valor para a vaga que você esteja almejando.

Você pode acrescentar informações sobre serviços voluntários, intercâmbio cultural, alguma habilidade específica ou técnica, disponibilidade ou qualquer informação que seja de extrema importância para a função que você está se candidatando.

Dica bônus: Não informe sua pretensão salarial no currículo.

Conclusão

Obedecendo todas essas dicas que demos, você terá um currículo acima da média, que potencializará suas chances de passar no ‘filtro’ de um processo seletivo, independente do cargo almejado.

3 Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Os comentários não representam a opinião do portal ou de seu editores! Ao publicar você está concordando com a Política de Privacidade.

*